refarm@nuvem.tk

Screen Shot 2013-08-12 at 11.53.38 AM

uau!! 2 lines that made us jump of joy :) so next september you will find us in brasil developing a electronic faucet/valve that can be made in a 3D printer. here you can see our proposal.

I’ll keep you posted on the developments here on the blog and on the wiki. please if you want to contribute feel free. the e-valve is a complex project so every help is welcome ;)

nas nuvens

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/1/16/Injector_Giffard-02.jpg

creio que é o primeiro post que escrevo em português :) ontem apresentámos a nossa proposta para uma residência artística na nuvem.tk a ideia era formalizar a nossa colaboração com a UFRRJ no desenvolvimento do sistema de rega de baixo custo, conhecer a nuvem e poder contribuir para um projecto que busca uma harmonia entre humanos e biosfera e obviamente hihihi poder voltar a participar num interactivos! trabalhar com gente nova e que sabe mais de “outras coisas” :) a nossa proposta é por um lado ligar o sistema de rega a uma placa de refarm para que possamos recolher dados e enviar-los aos nossos servidores e por outro lado desenvolver componentes específicos (uma torneira) de codigo aberto.

olhando para o sistema UFRRJ há 3 componentes que são difíceis de encontrar globalmente ou que diferem radicalmente de cidade em cidade. outros não :) por exemplo o presostato é um componente global. em todas as cidades que fomos sempre encontrámos máquinas de lavar a roupa donde era possível retirar o presostato e de regular os mecanismos internos para que funcione com a pressão requerida 1KPa. no caso da electro-valvula/torneira/mecanismo-de-fechar-um-circuito-de-agua não conseguimos encontrar uma fonte regular deste componente nas cidades. primeiro porque genética de refarm: como fazemos oficinas não trabalhamos com altas voltagens e as valvulas que mais encontramos são as das maquinas de lavar roupa/louça. estas são todas a 110-220V ac. a voltagem comportável para trabalhar com todas as idades é entre 3-5V dc.

segundo porque não encontramos frequentemente electro-valvulas de baixa voltagem.. há umas numas impressoras profissionais, outras numas máquinas de café, outras na nautica, mas não é um componente comum a nivel global. esta é a nossa proposta concreta para a nuvem, desenvolver uma “e-torneira” para ser reproduzida localmente com uma impressora 3D.

o outro componente intrigante é o sensor de cerâmica. este componente tem muitos desafios pela frente antes de chegar a ser um objecto que possa ser reproduzido segundo as matérias primas disponíveis nas cidades.

só 5 propostas serão aceites, cruzem dedos :)